Polícia australiana deteve homem que terá enviado pacotes suspeitos para consulados e embaixadas

Lusa

A polícia australiana deteve um homem que terá enviado 38 pacotes suspeitos a consulados e embaixadas estrangeiras nas cidades de Melbourne, Camberra e Sydney, informaram hoje as autoridades.

O indivíduo, de 48 anos, foi detido em sua casa, em Shepparton, no estado de Victoria, na noite de quarta-feira, devendo ser presente hoje a um juiz no Tribunal de Magistrados de Melbourne.

Pelo menos dez missões diplomáticas, a maioria em Melbourne, reportaram a entrega de pacotes suspeitos na quarta-feira, receando que estes poderiam conter uma substância perigosa.

A Polícia Federal Australiana e a Polícia de Victoria emitiram um comunicado conjunto no qual se informa que, até agora, foram recuperados 29 desses pacotes, estando a ser realizados testes forenses para determinar a composição exata do material, que não é considerada perigosa e não ameaça o público em geral.

A polícia identificou todos os destinatários e está a realizar diligências para recuperar os restantes pacotes.

Vários consulados estrangeiros foram evacuados na quarta-feira em Melbourne, com as autoridades a informarem que estavam a investigar múltiplos casos de pacotes suspeitos entregues em diversas missões diplomáticas.

Contactada pela agência Lusa, fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que nenhuma das representações diplomáticas portuguesas, nomeadamente em Sydney, Melbourne e Camberra recebeu qualquer pacote suspeito”.

Algumas das missões diplomáticas em Melbourne, que receberam estes pacotes com potenciais substâncias perigosas, são os consulados dos Estados Unidos, Índia, França, Hong Kong, Nova Zelândia, Itália, Suíça, Paquistão e Grécia, informou a estação televisiva ABC.

Policias, equipas de bombeiros e ambulâncias foram observadas em várias missões diplomáticas, incluindo as da Índia, Itália, Espanha e Alemanha.

Os incidentes acontecem depois que um pacote suspeito ter sido intercetado no consulado argentino em Sydney, na segunda-feira, no qual a polícia recolheu uma amostra de uma substância para testes, cujos resultados ainda não foram revelados.