Exposição de crianças a poluição automóvel é superior em 37% à dos adultos

Lusa

O perigo de exposição das crianças à poluição automóvel é superior em 37% à dos adultos, revela hoje um estudo do grupo ambiental alemão Deutsche Umwelthilfe.

O estudo - divulgado no dia em que o Comité Ambiental da União Europeia vota a proposta da Comissão Europeia de redução de emissões de gases poluentes de 30% para 45% até 2030 - indica que os níveis de dióxido de azoto (NO2) foram 7,2% em média mais altos na medição realizada a um metro do solo, o parâmetro do estudo no que se refere a crianças até um metro de altura.

As medições foram feitas durante um mês em 500 artérias de seis cidades alemãs - Berlim, Hamburgo, Kiel, Munique, Helibroon e Estugarda - a alturas de um e dois metros.

Na grande maioria das cidades, os níveis de NO2, principalmente emitido por motores a diesel, foram mais altos a um metro, com uma média de 7,2% maior.

A diretora do controlo de tráfego e poluição do ar da Deutsche Umwelthilfe, Dorothee Saar, sublinhou que a pesquisa revela "uma imagem comum em muitas cidades da Europa, em que o NO2 é emitido próximo ao solo e, portanto, afeta animais de estimação e crianças mais do que adultos".

De acordo com a Royal College of Physicians, os efeitos para a saúde são mais agudos para bebés e crianças pequenas do que para adultos, com a exposição a partículas tóxicas durante esses estágios iniciais críticos do desenvolvimento propensa a deixar uma criança com pulmões atrofiados, com condições respiratórias como asma e, potencialmente, até a uma redução do desenvolvimento do cérebro.

As organizações de saúde lançaram hoje um vídeo que simula graficamente a ligação da poluição dos carros a sérios impactos na saúde, como demência, doenças pulmonares e cardíacas, asma e mesmo redução no desenvolvimento cerebral.

O responsável pela política da Aliança Europeia para a Saúde Pública (EPHA), Zoltán Massay-Kosubek, afirmou que "o vídeo mostra como a poluição do ar é o maior problema de saúde ambiental que se enfrenta, afetando milhões de pessoas".

"As escolhas políticas podem ter um impacto enorme. Os custos serão suportados pela indústria automóvel ou pelos cidadãos que pagam o preço do ar poluído. As regras europeias que vão ser decididas têm o poder de criar uma atmosfera de ar limpo nas cidades. Um voto para regras fortes será um ponto importante para que as tecnologias dos carros sejam mais limpas", afirmou.

Em 08 de outubro, os Estados-membros da União Europeia serão confrontados com as novas regras e fontes estimam que 14 a 19 Estados possam estar a favor de meta superior a 40%.