Manifestação organizada por expatriados contra Governo romeno faz feridos e detidos

Dezenas de milhares de romenos manifestaram-se hoje em Bucareste contra o Governo, num protesto organizado por expatriados para exigir a demissão do executivo e eleições antecipadas e que originou confrontos, detidos e feridos, adiantou a agência AP.

Alguns manifestantes envolveram-se em confrontos com a polícia de choque quando tentavam passar uma barreira policial que os separava de instalações do Governo.

Várias pessoas foram detidas e a polícia lançou por diversas vezes gás pimenta, tendo ao final do dia usado canhões de água contra os manifestantes.

O serviço de ambulâncias de Bucareste disse que mais de 200 pessoas, entre manifestantes e agentes da polícia, receberam tratamento médico, algumas com ferimentos na cabeça, outras por não terem suportado o gás pimenta.

Em reação à ação policial, o Presidente da Roménia, Klaus Iohannis, crítico do Governo, disse que “condena firmemente a brutal intervenção da polícia de choque”, que classificou como desproporcionada num protesto que foi maioritariamente pacífico.

Os emigrantes que organizaram a manifestação em Bucareste, capital da Roménia, alguns dos quais atravessaram a Europa de carro para estar presentes, disseram estar descontentes pela forma como o país está a ser governado, nomeadamente no que diz respeito à luta contra a corrupção desde que o Partido Social Democrata chegou ao poder em 2016.

Estima-se que cerca de três milhões de romenos vivam fora do país e alguns dizem que saíram devido à corrupção, baixos salários e falta de oportunidades.