Bombista de Austin era um desempregado caucasiano de 24 anos

Lusa

O homem suspeito de ter matado duas pessoas e ferido outras quatro com quatro bombas em Austin, Texas (sul dos Estados Unidos) era um caucasiano de 24 anos, desempregado, que desistiu da universidade, informaram as autoridades.

O suspeito morreu hoje na explosão de uma das suas bombas, num parque de estacionamento de um motel de Austin, quando a polícia de intervenção se aproximava do carro em que se encontrava.

As autoridades não divulgaram o nome do suspeito, mas um responsável da polícia citado pela agência de notícias Associated Press disse que se trata de Mark Anthony Conditt. A mesma fonte - que tem sido informada da evolução da investigação - pediu para não ser identificada, uma vez que não está autorizada a discutir o caso publicamente.

Conditt cresceu em Pflugerville, um subúrbio a nordeste de Austin, onde ainda morava depois de ter saído de casa dos pais. Pflugerville não fica longe do local da explosão da primeira bomba - a 02 de março, que resultou na morte de Anthony House, de 39 anos.

A polícia afirma que ainda não está clara a motivação dos crimes, e desconhece-se se Conditt conhecia alguma das vítimas.

O suspeito frequentou a universidade de 2010 a 2012, mas não concluiu os estudos, confirmou uma porta-voz da instituição. Trabalhou algum tempo numa empresa local e não tinha cadastro, informou o governador Greg Abbott à televisão KXAN-TV, em Austin.

Nas redes sociais, Conditt também deixou poucas pistas. Além de algumas fotografias de si mesmo e da família na rede social Facebook, Conditt escreveu algumas vezes num blogue. Em 2012, um bloguer identificado como Mark Conditt, de Pflugerville, escreveu que o casamento entre homossexuais deveria ser ilegal.

"A homossexualidade não é natural. Basta olhar para o corpo masculino e para o corpo feminino. Obviamente que foram desenhados um para o outro", escreveu Conditt. Noutros comentários, defendeu a pena de morte e a eliminação dos registos de pessoas condenadas por abusos sexuais.

Um dos vizinhos de Conditt em Pflugerville, Jeff Reeb, disse que viu Mark crescer (ao longo de 17 anos) e que este sempre lhe pareceu "inteligente" e "educado".

Reeb, de 75 anos, disse que Conditt brincou com o seu neto até ao secundário e que, depois disso, visitava regularmente os seus pais.

As autoridades acreditam que Conditt produziu todas as bombas detonadas e que, provavelmente, terá agido sozinho. No entanto, ainda estão a investigar sobre se terá recebido ajuda de alguém.