Aeroporto londrino encerrado por causa de bomba da II Guerra Mundial deverá reabrir terça-feira

Lusa

As autoridades britânicas esperam conseguir remover ainda hoje uma bomba da Segunda Guerra Mundial por explodir encontrada junto ao aeroporto London City em Londres, que forçou o cancelamento de dezenas de voos, incluindo para Lisboa.

O engenho, que se estima pesar meia tonelada e tem cerca de 1,5 metros de comprimento, foi descoberto na madrugada de domingo numa doca do rio Tamisa, durante obras planeadas no âmbito do plano de ampliação do aeroporto, um dos cinco que servem a capital britânica.

Mergulhadores da Marinha Real e da Polícia Britânica começaram por tentar libertar a bomba do lodo para depois fazê-la flutuar e removê-la da área a tempo da reabertura do aeroporto na terça-feira.

"O momento da remoção depende das marés, no entanto, nesta fase, estimamos que a remoção do dispositivo da localização será completada até amanhã [terça-feira] de manhã", adiantou hoje a polícia.

Um perímetro de segurança de 214 metros foi montado ao final do dia de domingo, resultando no encerramento do aeroporto e retirada de todos os trabalhadores e residentes da zona a leste da cidade.

O London City é o mais pequeno dos cinco aeroportos internacionais de Londres, tendo movimentado 4,5 milhões de passageiros em 2017, sobretudo para destinos de negócios, como Frankfurt, Luxemburgo, Bruxelas ou Nova Iorque.

No ano passado, a TAP Air Portugal iniciou em outubro uma operação diária com partidas e chegadas ao aeroporto London City, pelo que o encerramento já resultou em voos cancelados no domingo e segunda-feira.

O aeroporto está localizado perto de zonas portuárias do leste de Londres, uma área que foi fortemente bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial.