Autor de tiroteio em Macerata (Itália) ligado à extrema-direita

O ministro do Interior italiano afirmou hoje que o autor do tiroteio na cidade de Macerata, que feriu seis imigrantes africanos, está ligado a movimentos de extrema-direita e foi motivado por um “evidente ódio racial”.

O ataque armado, atribuído a um jovem italiano entretanto detido pela polícia, é marcado por uma cultura de "extremismo de direita com referências claras ao fascismo e ao nazismo", disse o governante, Marco Minniti, que lamentou que o único vínculo entre as vítimas seja “a cor da pele”.

O ministro afirmou aos jornalistas em Macerata (centro de Itália) que o suspeito agiu sozinho, mas planeou o ataque.

O suspeito foi candidato da Liga do Norte, que tem posições anti-migração, nas eleições locais no ano passado, mas sem que tenha sido eleito, e esteve ligado às formações neofascistas Forza Nuova e Casa Pound.

Uma fotografia do autor do ataque mostra que ele tem uma tatuagem associada aos neonazis na testa.

O tiroteio acontece quando decorre a pré-campanha eleitoral para as eleições gerais de 04 de março.