Governo alemão deportou 23.996 imigrantes em 2017, menos 5,6% que um ano antes

Lusa

O Governo alemão deportou 23.966 imigrantes em 2017, dos quais apenas 60 eram considerados “perigosos”, o que representa uma diminuição de 5,6% em relação às deportações do ano precedente, revelam dados do Ministério de Interior hoje divulgados.

Um porta-voz do ministério alemão explicou que a diminuição não se deve a um “efeito especial”, pois em 2016 a maioria dos imigrantes provenientes dos Balcãs ocidentais já tinha sido expulsa - normalmente não lhes é concedido asilo –, e lembrou que o Governo vê nesta redução “grandes avanços”.

As pessoas expulsas são de origem argelina, marroquina e tunisina, países para os quais é mais complexo o processo de deportação, salientou.

Um dos pontos mais controversos da política de deportações da Alemanha tem a ver com a expulsão de afegãos, por considerar seguras certas partes do país, que se encontra em guerra há décadas.

A Alemanha recebeu mais de 1,3 milhões de pedidos de asilo desde 2015.

Desde o ano passado, o país tem vindo a endurecer os critérios para aceitar os pedidos de asilo e de reagrupamento familiar.