China ensaiou vida em ambiente lunar durante 200 dias em laboratório

Lusa

Quatro estudantes chineses passaram 200 dias em isolamento num laboratório construído para simular o ambiente lunar, aprofundando a ambição da China de enviar missões tripuladas à Lua, anunciou hoje a imprensa estatal.

A agência Nova China revelou que os quatro alunos da Universidade de Beihang, em Pequim, viveram num módulo chamado "Palácio Lunar" para simular a sobrevivência autónoma numa missão longa e testar a capacidade para o corpo se manter num espaço fechado.

No laboratório, os dejetos humanos foram tratados através de biofermentação e plantas e legumes foram cultivados com adubos feitos a partir de lixo orgânico.

Numa primeira fase da experiência, entraram duas mulheres e dois homens, que ficaram fechados 60 dias. Depois, foram substituídos pelo grupo que ficou 200 dias.

O "Palácio Lunar" tem dois módulos de cultura de vegetais e um espaço de alojamento, em 42 metros quadrados com quatro áreas de descanso, uma sala de comum, casa de banho, uma para tratamento de resíduos e ainda uma zona de criação de animais.