Portuguesa acusada de terrorismo em Inglaterra

Diário de Notícias

Uma mulher portuguesa de 38 anos foi detida em Inglaterra, acusada de pertencer a um grupo de extrema-direita banido no país, o National Action, escreve o Diário de Notícias.

Cláudia Patatas foi detida com outros cinco homens, todos ingleses, e o grupo enfrenta agora acusações de terrorismo. Em tribunal, todos alegaram ser inocentes.

As detenções, que ocorreram a 3 de janeiro, foram anunciadas pela polícia de West Midlands na segunda-feira. Ocorreram na sequência de uma investigação da unidade de contraterrorismo daquela polícia.

O grupo compareceu em tribunal na quarta-feira e todos se declaram inocentes, mas a juíza negou-lhes a possibilidade de saírem sob fiança. Há uma nova audiência marcada para 19 de janeiro.
A procuradora Jessica Hart, citada no Daily Mail, indicou que houve um "envolvimento deliberado e prolongado numa organização terrorista imediatamente depois" daquela ter sido banida. "Expressaram apoio pelas ideias daquela organização de que uma guerra racial é provável e que é necessário preparação para ela e para criar uma sociedade só de brancos".

O National Action foi banido em dezembro de 2016, considerado uma organização terrorista de extrema-direita, e pertencer ao grupo neonazi é crime.

Claudia Patatas vive em Banbury, tal como outro dos acusados, e é fotógrafa.