Museu Metropolitan em Nova Iorque vai passar a cobrar entradas a partir de março

O Metropolitan Museum de Nova Iorque, um dos museus mais visitados do mundo, vai passar a cobrar entradas a partir de março, para ver o seu acervo de dois milhões de peças, desde pintura impressionista a arte egípcia.

No sítio ´online´ do museu, o presidente, Daniel H. Weiss, explica as razões da alteração da política de entradas, baseada, nos últimos 50 anos, em contribuições voluntárias dos visitantes, a fim de conseguir "manter a sua missão para as gerações futuras".

Instalado no Central Park, em Nova Iorque, o Metropolitan Museum foi fundado em 1872, e recebe anualmente mais de sete milhões de visitantes, contando, na sua coleção, com obras de artistas como Claude Monet, Rembrandt, e Vincent van Gogh.

De acordo com o presidente do museu, a filosofia "pague o que quiser" até agora usada com os visitantes, vai ser reservada aos habitantes do Estado de Nova Iorque.

Será mantida gratuita para crianças até aos 12 anos, mas os restantes visitantes terão de pagar 25 dólares (cerca de 21 euros), valor que era até agora aconselhado, mas não obrigatório.

Weiss estima que o pagamento irá abranger cerca de 31 por cento dos visitantes do museu, que ganhou grande prestígio internacional no decorrer do século XX, por se tornar o local com a melhor coleção de arte egípcia, fora do Egito, no mundo, e pelas suas exposições de artistas impressionistas e pós-impressionistas.