Walmart e PBS cortam relações com 'estrela' Tavis Smiley acusado assédio sexual

Lusa

O grupo de distribuição retalhista norte-americano Walmart suspendeu na quinta-feira a sua relação com o animador de ‘talk-show’ televisivos e radiofónicos e autor Tavis Smiley, no seguimento de acusações recentes de assédio sexual.

A decisão ocorre um dia depois de a estação televisiva PBS ter anunciado que suspendia indefinidamente o programa de Smiley, que existia desde 2004, depois de uma investigação independente ter descoberto “alegações múltiplas e credíveis” de conduta sexual criticável por parte do animador.

Smiley respondeu, na rede social Facebook, que nunca tinha assediado ninguém e que uma das relações que veio a público tinha sido consensual.

Smiley também acusou a PBS de recusar dar os nomes de quem o acusou, recusar falar aos seus colaboradores atuais e recusar-lhe qualquer possibilidade de defesa.

A Walmart tem sido um anunciante do ‘talk-show’ e ia patrocinar um espetáculo teatral que ia fazer um circuito.

Para o próximo mês está previsto o lançamento em 40 cidades de uma produção teatral focada no último ano da vida de Martin Luther King Jr. O espetáculo “A Morte de um Rei” é baseado no livro homónimo de Smiley, saído em 2014, e deve estrear em 15 de janeiro.

Smiley tem um acordo com a Warner Bros. Television e tem estado a trabalhar com J. J. Abrams para criar uma série televisiva a partir do seu novo livro sobre os últimos dias e a morte de Michael Jackson.