Jerusalém: França condena "decisão unilateral" do Presidente dos Estados Unidos

Lusa

O Presidente francês, Emmanuel Macron, condenou hoje a "decisão unilateral" dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como capital de Israel, afirmando tratar-se de uma "questão de segurança internacional".

"A questão de Jerusalém é uma questão de segurança internacional. A solução só pode ser encontrada através de negociações entre israelitas e palestinianos sob a égide da ONU", disse Macron aos jornalistas durante uma visita ao Qatar.

Classificando a opção norte-americana de reconhecer Jerusalém como capital de Israel como uma "decisão unilateral", Macron disse: "Não partilho desta decisão e desaprovo-a".

Afirmou ainda que a França continua a defender "uma solução de dois Estados, israelita e palestiniano, com Jerusalém como capital de ambos".

Macron chegou hoje ao Qatar para uma visita de um dia, numa altura em que aquele país do Golfo enfrenta o isolamento e o boicote de alguns dos seus vizinhos árabes.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, reconheceu na quarta-feira Jerusalém como capital de Israel, afirmando que "há muito que já deveria ter sido tomada" esta decisão.

O anúncio do Presidente norte-americano, que foi recebido por uma onda de contestação diplomática na Europa e no Médio Oriente, representa uma rotura com décadas de neutralidade da diplomacia norte-americana na questão israelo-palestiniana.

Donald Trump também anunciou que vai dar ordens ao Departamento de Estado para mudar a embaixada dos EUA de Telavive para Jerusalém.