MP italiano investiga avalanche que soterrou hotel e matou 29 pessoas

Lusa

O Ministério Público italiano abriu uma investigação para apurar os factos relacionados com a avalanche que em janeiro passado soterrou um hotel em Abruzzo (região centro de Itália) e matou 29 pessoas (hóspedes e funcionários), foi hoje divulgado.

O inquérito pretende apurar se existiu alguma infração ao autorizar a construção do hotel em questão, conhecido como hotel Rigopiano de Farindola, numa área propensa a avalanches.

A unidade hoteleira estava situada a 1.300 metros de altitude na cordilheira dos Apeninos, na região de Abruzzo.

A investigação vai incidir em 23 pessoas que, segundo a agência noticiosa italiana ANSA, foram hoje notificadas formalmente da investigação e informadas sobre as eventuais acusações, que podem incluir o crime de homicídio involuntário.

Também estão a ser investigados os procedimentos de evacuação do hotel, nomeadamente se a unidade hoteleira deveria ter sido logo evacuada após vários sismos terem sacudido a área perto da cidade de Farindola, na província de Pescara.

O inquérito também pretende apurar se as autoridades demoraram a responder aos pedidos de resgate.

Quatro crianças e cinco adultos foram retirados com vida da neve e dos escombros do hotel dias depois da avalanche, ocorrida a 18 de janeiro, em que morreram 29 pessoas.