Venezuela: Libertados opositores Yon Goicoechea e Delson Guárate

Lusa

Os opositores venezuelanos Yon Goicoechea e Delson Guárate saíram, na sexta-feira, da prisão com medidas cautelares, informaram hoje fontes do partido Vontade Popular (VP), a formação política em que ambos militam.

“Liberdades, com medidas cautelares, os meus irmãos Yon Goicoechea e Delson Guárate. Nunca deviam ter sido privados da sua liberdade”, anunciou o vereador do município Chacao de Miranda, Alfredo Jimeno, na sua conta na rede social Twitter.

Mais tarde, o próprio Delson Guárate usou o Twitter para informar da sua libertação: “Estou em liberdade”, escreveu, sem facultar mais detalhes.

Yon Goicoechea foi detido em agosto do ano passado por alegadamente planear ações contra o Governo do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, segundo afirmou na ocasião o homem forte do ‘chavismo’, Diosdado Cabello.

Em dezembro de 2016, Espanha concedeu-lhe cidadania.

Delson Guárate, autarca de Mario Briceño, no estado central de Aragua, foi detido nas vésperas de uma marcha da oposição, em 01 de setembro de 2016, em Caracas, pelo Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin, serviços secretos venezuelanos), por “financiamento de terrorismo” e “associação para delinquir”.

Os seus familiares denunciaram que durante a sua estadia na prisão perdeu mais de 20 quilos e que a sua condição de diabetes e de hipertensão arterial se agravaram, pelo que pediram ao Governo que lhe fosse concedida a aplicação de uma medida humanitária.

Não foram divulgadas as condições em que Goicoechea e Guárate foram libertados da prisão.

As libertações têm lugar depois de o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela ter ordenado o fim da imunidade do vice-presidente da Assembleia Nacional (parlamento), o deputado do VP Freddy Guevara, o que constitui um primeiro passo para o levar a julgamento.

Esta medida levou o VP – fundado por Leopoldo López, que permanece em prisão domiciliária após mais de três anos encarcerado numa prisão militar –a alertar que o regime de Nicolás Maduro pretende ilegalizar a formação.