Ucrânia: Especialistas russos criticam ineficácia perante ataques ucranianos

LUSA

Especialistas militares russos criticaram esta segunda-feira as suas Forças Armadas por não terem sido capazes de antecipar os ataques de ‘drones’ contra bases aéreas na Rússia alegadamente cometidos pelas forças ucranianas.

De acordo com o mais recente relatório do Instituto para o Estudo da Guerra, um ‘think tank’ com sede em Washington, vários ‘milbloggers’ (especialistas militares que escrevem em ‘blogs’) russos manifestaram o seu desagrado pelo facto de os oficiais militares comandados por Moscovo não terem protegido adequadamente as bases aéreas de Engels-2 e de Dyagilevo, que foram atacadas na segunda-feira.

Estes especialistas sugerem que o caso é ainda mais grave porque as Forças Armadas russas sabiam antecipadamente que estas duas bases aéreas eram potenciais alvos para ataques dos ucranianos.

Estes ‘milbloggers’ disseram mesmo que os ataques às duas bases aéreas ameaçam a legitimidade da Rússia como potência nuclear, alegando que os ‘drones’ ucranianos danificaram aeronaves capazes de transportar armas atómicas.

Na segunda-feira, fontes russas confirmaram que um ‘drone’ ucraniano atingiu aeronaves na base aérea Engels-2, na região russa de Saratov, danificando bombardeiros estratégicos e porta-mísseis, e que um outro ‘drone’ ucraniano destruiu um camião de combustível russo na base aérea de Dyagilevo, na região de Ryazan Oblast.

“Vários proeminentes ‘milbloggers’ russos alegaram que grupos ucranianos de sabotagem e reconhecimento devem ter lançado o ataque contra a base aérea Engels-2 a partir de território russo”, segundo o relatório do Instituto, que relata denúncias destes especialistas da existência ativa deste tipo de grupos no interior da Rússia.

Estes ‘milbloggers’ (que começam a ser muito críticos sobre a estratégia militar definida pelo Kremlin) pedem agora a Moscovo que autorize ataques de retaliação contra a Ucrânia e que intensifique as medidas antiterroristas em território russo.

Hoje, a presidência russa anunciou que está a tomar “medidas pertinentes” para proteger as suas instalações de ataques de drones de Kiev.

“A linha de continuidade destes ataques terroristas, assumida abertamente pelo regime ucraniano, é um fator de perigo. Por isso, levamo-lo em conta e estamos a tomar as medidas apropriadas”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

O Ministério da Defesa russo reconhecera, na segunda-feira, que os ataques imputados à Ucrânia tinham como alvo intencional aeronaves de longo alcance para tentar travar as vagas de bombardeamentos contra infraestruturas energéticas lançadas por Moscovo na segunda-feira.

Segundo o relatório do Instituto para o Estudo da Guerra, os especialistas militares russos acusam as suas Forças Armadas de não terem levado a sério os avisos que eles foram divulgando nas últimas semanas, onde tinham chamado a atenção para a possibilidade de as forças ucranianas estarem a preparar ataques contra instalações militares em território russo.