Catalunha: Draghi considera "prematuro" apontar riscos para zona euro

O presidente do Banco Central Europeu (BCE) disse hoje ser "prematuro" considerar os riscos de desestabilização que constituiria para a zona euro uma declaração de independência da Catalunha.

"Concluir desde já sobre um potencial risco de desestabilização financeira [para a zona euro] é prematuro", declarou aos jornalistas o presidente do BCE, garantindo que segue "com grande atenção" a situação "que evolui todos os dias".

Apesar da incerteza na crise política catalã, o BCE anunciou hoje uma redução para metade no seu programa de compra de dívida na zona euro, a partir de janeiro e até ao final de setembro de 2018, passando o volume de aquisições de 60 mil milhões de euros para 30 mil milhões de euros mensais.

A ameaça de uma proclamação unilateral de independência da Catalunha já fez com que muitas empresas saíssem da região, o que aumenta a incerteza sobre a estabilidade de uma região com uma dívida bastante elevada e dependente do comércio com a União Europeia (UE) e com o resto de Espanha.

Os bancos Sabadell e CaixaBank já mudaram as suas sedes para garantirem que continuam a beneficiar do apoio da UE, caso seja necessário.