Oposição venezuelana vence Prémio Sakharov

O prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento é entregue esta quinta-feira pelo Parlamento Europeu (PE) que, desde 1988, galardoa pessoas com contributo exemplar na luta pelos Direitos Humanos.

A Oposição Democrática na Venezuela é a a vencedora do "Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento" 2017, pela luta contra a "deterioração da situação do país no que toca à democracia, direitos humanos e socioeconomia". A candidatura representa também os prisioneiros políticos na Venezuela, muitos deles europeus.

Neomar Lander (na foto) é o símbolo da oposição a Maduro. Trata-se de um jovem de 17 anos que foi morto durante os protestos de junho deste ano na Venezuela. A forma brutal como foi abatido pela Guarda Nacional fez com que hoje seja o principal símbolo da resistência ao Governo de Nicolas Maduro.

Ou outros dois finalistas eram Aura Lolita Chavez Ixcaquic, que tem lutado pelo direito à terra do povo indígena Maya K'iche na Guatemala; e Dawit Isaak, jornalista eritreu detido há 15 anos sem julgamento e que se tornou num símbolo internacional da luta pela liberdade de imprensa.

No ano passado, o galardão foi atribuído às ativistas Nadia Murad e Lamia Haji Bachar, da minoria Yazidi, que foram feitas escravas sexuais por parte do autoproclamado Estado Islâmico.