Israel exige que qualquer governo palestiniano de unidade desarme Hamas

O governo israelita exige que qualquer governo de unidade palestiniano resultante da reconciliação de movimentos rivais reconheça Israel e desarme o Hamas, disse hoje um responsável israelita que não quis ser identificado.

“Qualquer reconciliação entre a Autoridade Palestiniana e o Hamas deve incluir um compromisso de respeito pelos acordos internacionais e pelas condições do Quarteto (para o Médio Oriente), a começar pelo reconhecimento de Israel e pela desmilitarização do Hamas”, referiu o responsável, na primeira reação israelita à assinatura de um acordo de reconciliação entre movimentos rivais palestinianos.

Os movimentos Fatah, secular e moderado e ao qual pertence o presidente da Autoridade Nacional Palestiniana (ANP), Mahmud Abbas, e Hamas, radical islâmico, assinaram hoje um acordo de reconciliação no Cairo, que acaba com quase 10 anos de desentendimentos.

Os representantes dos dois movimentos disseram numa conferência de imprensa que o primeiro passo será reforçar o governo da ANP, que até agora só exercia o poder na Cisjordânia, enquanto o enclave da faixa de Gaza era dirigido pelo Hamas.

Segundo o governo egípcio, o acordo prevê que a Autoridade Palestiniana terá o controlo total da faixa de Gaza até 01 de dezembro, tendo um alto responsável envolvido nas negociações indicado que 3.000 polícias da Autoridade Palestiniana vão ser destacados para o enclave e para as suas fronteiras com Israel e com o Egito.

A Fatah anunciou que Mahmud Abbas se deslocará nas próximas semanas a Gaza, pela primeira vez em 10 anos.