Prémio Norte-Sul 2020 premiou vida humana e do planeta - Conselho da Europa

Lusa

O presidente da comissão executiva do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa sublinhou hoje que a defesa da vida, humana e do planeta, justificou a atribuição do prémio desta instituição relativo a 2020 aos dois organismos vencedores.

Em 2020, a luta desenvolvida pela Comissão Internacional contra a Pena de Morte (ICDP) e o trabalho da Rede de Especialistas Mediterrânicos sobre Alterações Climáticas e Ambientais (MedECC) mereceram o prémio, entregue numa cerimónia aberta e guiada pelo presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e encerrada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

“Porque é que estamos aqui? O que premiamos? Qual é a nossa mensagem, o nosso apelo? Estamos aqui pela vida, a nossa e a do planeta, que é mesma”, afirmou o presidente da comissão executiva do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa, embaixador Manuel Montobbio, na cerimónia de entrega do prémio, hoje, na Assembleia da República, em Lisboa.

Manuel Montobbio deu os parabéns aos laureados assinalando que o trabalho desenvolvido pelos dois organismos mostra “a interdependência global” e incentivou-os a continuar citando Jean Monnet que escreveu que as pessoas não perduram, mas as instituições sim.

O secretário-geral adjunto do Conselho da Europa, Bjorn Berge, também disse na sua intervenção que “a abordagem de ambos os laureados é semelhante”, contribuindo para a defesa dos direitos humanos e “completando o trabalho do Conselho da Europa”.

“Trabalham além fronteiras, em solidariedade, numa visão do mundo que é a que estamos a construir com o Centro Norte-Sul”, sublinhou Bjorn Berge, que agradeceu também às autoridades portuguesas por acolherem a instituição a que pertence, que tem sede em Lisboa.

Marta Santos Pais, a primeira portuguesa a integrar a ICDP, recebeu o prémio, em nome da presidente da instituição, a juíza Navanethem Pillay, que não pode sair da África do Sul devido à pandemia, enquanto a Rede de Peritos do Mediterrâneo em matéria de Alterações Climáticas e Ambientais (MedECC) esteve representada pelos investigadores Wolfgang Cramer e Joël Guiot.

O Prémio Norte-Sul do Conselho da Europa distingue anualmente duas personalidades ou entidades, uma do Norte, outra do Sul, pelo seu compromisso com os direitos humanos, a Democracia e o Estado de Direito, contribuindo para o diálogo Norte-Sul, fomentando a solidariedade, a interdependência e as parcerias.

O prémio relativo a 2021 já foi anunciado, esta segunda-feira, e será atribuído, em data ainda não divulgada, à ex-autarca afegã Zarifa Ghafari e à plataforma internacional COVAX, iniciativa liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que visa assegurar o acesso global e equitativo às vacinas contra a covid-19, em particular nos países mais pobres.

O Conselho da Europa é uma organização internacional de promoção dos direitos humanos fundada em 05 de maio de 1949, com 47 Estados-membros, incluindo todos os países da União Europeia (UE).

O prémio do Centro Norte-Sul, criado em Lisboa em 1990, foi hoje entregue pela 26.ª vez no parlamento português.