Incêndio no Burundi mata pelo menos menos 38 presidiários e fere 69

LUSA

Um incêndio na prisão central de Gitega, a capital administrativa do Burundi, matou pelo menos 38 presidiários e feriu 69, anunciou hoje o Ministério do Interior do país.

O incêndio deflagrou devido a um "curto-circuito" e está agora "sob controlo", declarou o Ministério do Interior através da sua conta de Twitter.

O vice-presidente do Burundi, Prosper Bazombanza, deslocou-se à prisão, com uma delegação ministerial, para supervisionar os danos causados pelas chamas e para tranquilizar a população.

Vários carros de bombeiros e ambulâncias chegaram à prisão para ajudar os reclusos.

Segundo os meios de comunicação locais, o incêndio começou entre as 03:00 e as 04:00 horas locais (01:00 e 02:00 GMT) na prisão, que alberga pelo menos 1.000 reclusos.

A prisão foi parcialmente destruída.

Entre os presos afetados pelo incêndio encontravam-se presos políticos acusados da tentativa de golpe de 2015 contra o então presidente do Burundi, Pierre Nkurunziza, que morreu em 2020, noticiou o jornal local "Itara".