Arguidos do 'Caso Meco' absolvidos de indemnização aos pais das vítimas

Os arguidos do 'Caso Meco' foram absolvidos, esta quinta-feira, pela juíza do Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal, do pagamento de cerca de 1 milhão de euros de indemnizações às famílias das vítimas.

Entre eles encontra-se João Gouveia, “dux” e único sobrevivente da noite fatídica de 13 de dezembro de 2013.

Conforme informa o despacho informativo da Presidência do Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal, foram "considerados improcedentes os pedidos deduzidos nos autos pelos Autores, absolvendo-se os Réus".

O tribunal mais avança que esta decisão é sustentada na "litigância de má fé por parte dos autores".

Recorde-se que em 2013, sete estudantes da Universidade Lusófona faleceram nesta praia onde estavam a realizara atividades no âmbito da sua praxe académica. Os jovens terão sido arrastados pelas ondas, o que acabou por ser fatal para seis deles, tendo os seus corpos sido encontrados nos dias seguintes.

O inquérito às circunstâncias destas mortes foi arquivado em julho de 2014 e reaberto em outubro do mesmo ano, quando o ‘dux’ João Gouveia foi constituído arguido.

Em março de 2015, o Tribunal de Instrução Criminal de Setúbal decidiu não enviar o processo-crime para julgamento e o Tribunal da Relação de Évora, após recurso da defesa, manteve a decisão, sublinhando que as vítimas eram adultas e não haviam sido privadas da sua liberdade durante a praxe, pelo que não havia responsabilidade criminal sobre João Gouveia.