Italiano procurado desde 1995 detido na capital do Uruguai

Um italiano procurado há mais de 20 anos pela justiça do seu país por tráfico de droga e atividades mafiosas foi detido no domingo num hotel de Montevideu, anunciou o Ministério do Interior do Uruguai.

Rocco Morabito, “membro da Ndrangheta, a máfia calabresa, é procurado por Itália desde 1995” e a Interpol emitiu uma “notificação vermelha” contra ele (para quem souber do paradeiro do procurado entrar em contacto com a polícia), por ter pertencido de 1988 a 1994 a uma organização criminosa dedicada ao tráfico internacional de droga, precisa o comunicado do ministério.

Ainda segundo o comunicado, Morabito terá assegurado o transporte de droga em Itália, a sua venda em Milão e terá tentado importar do Brasil 592 quilogramas de cocaína em 1992 e 630 quilogramas da mesma droga em 1993.

O ministério italiano adianta que Morabito era o número um da lista dos mafiosos da Ndrangheta procurados e um dos responsáveis mais importantes do clã “Africo Nuovo”.

O homem vivia há 13 anos no Uruguai, na estância balnear de Punta del Este, sob um nome falso inscrito num passaporte brasileiro, e terá sido denunciado após ter utilizado o seu nome verdadeiro para registar uma filha na escola.

Após a sua detenção, a polícia apreendeu uma pistola, uma arma branca, 13 telemóveis, 12 cartões de crédito, duas viaturas, passaportes portugueses, joias e cheques em dólares.

Segundo o jornal italiano Corriere della Sera, terá sido ainda detida uma mulher angolana com passaporte português que será a mulher de Morabito, embora outros media italianos tenham dito que o suspeito era casado com uma uruguaia.

Enquanto aguarda a extradição para Itália, onde deve cumprir 30 anos de prisão, Rocco Morabito, 51 anos, vai ficar detido três meses no Uruguai por posse de documentos falsos e usurpação de identidade.