Homem condenado a 10 anos de prisão por ter vendido arma que matou polícia francês

Um homem foi hoje condenado a 10 anos de prisão por ter vendido a arma que matou um polícia nos Campos Elísios em 2017 ao terrorista Karim Cheurfi, que executou o ataque e acabou também ele por morrer na troca de tiros com a polícia.

Karim Cheurfi matou Xavier Jugelé, polícia de 37 anos, num atentado que feriu ainda outros dois polícias e uma pessoa que estava na rua. O homem era considerado perigoso e já tinha sido condenado por outros crimes, incluindo tentativa de morte contra outro polícia.

O principal acusado pela venda de armas, Nourredine Allam, de 31 anos, foi condenado hoje a 10 anos de prisão, sendo dois terços da pena sujeitos a pena efetiva. Allam vendeu a Cheurfi a arma de assalto que levou ao crime.

Os juízes consideraram que vender a arma não se poderia qualificar de terrorismo e a a pena inicial pedida pelos procuradores franceses era de 18 anos.

Dois outros homens foram também condenados a penas de cinco e seis anos de prisão por lhe terem também vendido uma kalashnikov. Um terceiro acusado foi ilibado.

Este ataque terrorista aconteceu apenas alguns dias antes da primeira volta das eleições presidenciais de 2017 endurecendo o discurso e trazendo de volta ao debate público a fragilidade da segurança na capital francesa.