Covid-19: Doença matou mais de 600 polícias na África do Sul

Lusa

Mais de 600 agentes da polícia sul-africana perderam a vida devido à covid-19, anunciou hoje o ministro da Polícia, Bheki Cele.

"Até ao momento, 636 membros da polícia morreram de complicações associadas à covid-19 e 29.334 recuperaram" da doença, declarou o governante sul-africano, numa comunicação ao Conselho Nacional de Províncias.

"Muitos deles não puderam receber uma despedida digna e merecida porque tínhamos que cumprir os protocolos da covid-19", adiantou Bheki Cele, citado pelo portal sul-africano IOL.

O ministro da Polícia sublinhou que o policiamento em tempo de pandemia de covid-19 marcou o setor com "inúmeras lições e nível de experiência incomparável de policiamento contra todas as eventualidades".

Nas últimas 24 horas, as autoridades de Saúde sul-africanas registaram 3.285 novos casos de infeção e 89 óbitos associados à covid-19 no país, que enfrenta uma terceira vaga da pandemia em início de inverno.

O número cumulativo de casos positivos de covid-19 ascendeu hoje a cerca de 1,7 milhões de infeções, 57.063 mortes, 1.581.540 pessoas recuperadas da doença e 61.246 casos ativos, segundo as autoridades de saúde sul-africanas, salientando que um total de 1.350.245 pessoas se encontram já vacinadas no país.

A pandemia de provocou, pelo menos, 3.750.028 mortos no mundo, resultantes de mais de 173,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.