Buscas à segunda "caixa negra" de avião indonésio suspensas devido a mau tempo

Lusa

As autoridades indonésias suspenderam, devido ao mau tempo, as buscas a uma das "caixas negras" e restos das vítimas do avião da Sriwijaya Air que se despenhou sábado no mar de Java com 62 pessoas a bordo.

Um responsável da Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica (BMKG, sigla em indonésio) disse hoje aos jornalistas que as condições climáticas, fortes ventos e ondas com mais de dois metros, impedem as buscas no mar.

As equipas de resgate indicaram que nas últimas horas apenas encontraram algumas partes do Boeing 737-524 esperando regressar à zona possivelmente na quinta-feira.

Na terça-feira, os mergulhadores resgataram do mar, a mais de 20 metros de profundidade, a "caixa negra" que regista os dados do voo, como a velocidade e a altitude.

Neste momento, as equipas estão concentradas na busca da outra "caixa negra" que grava as comunicações da cabine dos pilotos.

As "caixas negras" são essenciais para determinar as causas do desastre.

O aparelho despenhou-se no Mar de Java depois de ter descolado do Aeroporto Internacional Sukarno-Hata, em Jacarta com destino a Pontianak, capital do Bornéu Ocidental.

Entretanto, continuam as tarefas de identificação dos corpos das vítimas, cujos restos se encontram num hospital da capital do arquipélago.

Graças às amostras de ADN das famílias já foram identificados quatro ocupantes do avião: dois membros da tripulação, de 29 e 38 anos, e dois passageiros, de 36 e 50 anos.

O Ministério dos Transportes informou na terça-feira que o aparelho matriculado em 1994 foi aprovado na revisão de rotina efetuada em novembro de 2020 efetuada pela Direção Geral da Aviação Civil.

As autoridades indonésias anunciaram na tarde de sábado que tinham sido perdidos contactos com o aparelho passados 13 minutos da descolagem e que o aparelho transmissor de localização de emergência deixou de emitir avisos.

De acordo com os registos de voo, encontravam-se a bordo 50 passageiros, incluindo três bebés e outros sete menores e 12 tripulantes, todos de nacionalidade indonésia.