Covid-19: França regista primeira contaminação numa quinta de criação de visons

Lusa

A França registou hoje, pela primeira vez, a presença de covid-19 numa quinta de criação de visons, em Eure-et-Loir, anunciaram hoje os ministérios da Agricultura, Saúde e Transição Ecológica.

“Foi ordenado o abate da totalidade de mil animais ainda presentes na quinta e a eliminação dos produtos desses animais”, informam aqueles gabinetes em comunicado.

Das quatro fazendas de visons existentes no país, uma está sem casos e “as análises ainda estão em curso nas outras duas” quintas, cujos resultados são esperados esta semana.

Vários países europeus já relataram contaminações de quintas de visons, principalmente na Dinamarca, com a recente descoberta de uma variante do vírus, mas também nos Países Baixos, depois na Suécia e na Grécia, e foram detetados casos isolados em Itália e Espanha.

Também foram detetados casos nos Estados Unidos da América (EUA).

No sábado, centenas de criadores dinamarqueses manifestaram-se com tratores em Copenhaga, para protestar contra a decisão do Governo de abater os animais para combater uma mutação problemática do novo coronavírus. As autoridades dinamarquesas disseram na quinta-feira que essa mutação, provavelmente, estava extinta.

O Governo francês destacou hoje a importância de ações de barreiras também neste contexto para proteger o vison da contaminação do pessoal da fazenda, mas também como precaução para evitar o contacto entre os animais possivelmente infetados e o pessoal.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.381.915 mortos resultantes de mais de 58,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.897 pessoas dos 260.758 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.