Jornadas: vereadora confronta Guilherme Silva com programa de 600 anos em Machico

Susy Lobato

A vereadora Mónica Vieira contestou, esta manhã, a forma como estão a ser organizadas as comemorações dos 600 Anos, lembrando que, apesar de Machico ter assento no Conselho Consultivo, poucas vezes foi ouvido sobre esta questão.

A autarca, com o pelouro da Cultura, aproveitou a presença de Guilherme Silva, presidente da Comissão Executiva dos 600 anos, para vincar que o “programa de ações é manifestamente insuficiente para dignificar Machico” e questionou se o concelho terá, no âmbito das comemorações dos 600 Anos, o espetáculo da Orquestra Clássica da Madeira, tal como aconteceu no ano passado no Porto Santo. É que, de acordo com Mónica Vieira, a Orquestra tem agendado um concerto mas é no Estádio dos Barreiros.

Em resposta, Guilherme Silva vincou que o espetáculo da Orquestra Clássica acontecerá em Machico, “se não for nesse dia, será noutro”. “Mas Machico não ficará privado desse concerto”, garantiu. De resto, admitiu falhas de tempo na organização, contestou a falta de verbas, e acrescentou que “se tivesse sempre a consultar o conselho consultivo não fazia mais nada”.