CAT: Geração "millennial" caminha para a lógica de "fazer sozinho"

Alberto Pita

Laura Torres Peñate, responsável pelo desenvolvimento de mercados internacionais da Binter, fez um apanhado das tendências atuais dos clientes da aviação comercial, direcionadas para a lógica do “i can do it by myself (eu consigo fazer sozinho), particularmente sentida na geração “millennial”.

No segundo painel sobre as “Acessibilidades e Infraestruturas” na XII Conferência Anual do Turismo, que decorre no Centro de Congressos da Madeira, a responsável da Binter apontou, por outro lado, que o crescimento da aviação irá sentir-se sobretudo nos mercados emergentes – África, sudeste asiático ou América do Sul - e não tanto no mercados consolidados como a América do Norte ou a Europa.

Registou ainda o papel que os “serviços à la carte, a bagagem, os serviços a bordo e o serviços para seguros ou rent-a-car” rendem hoje para o negócio das companhias.

A representante da Binter, a companhia aérea de Canárias que iniciou a sua internacionalização com a ligação à Madeira em 2005 e que exportou, em junho deste ano, o seu modelo de negócio para a ligação entre a Madeira e o Porto Santo, não comentou, contudo, o processo da concessão da linha entre ilhas madeirenses, que continua a funcionar em regime de ajuste direto.

Por outro lado, e desafiada pelo moderador a responder que a Binter poderia criar novas ligações de e para a Madeira, Laura Torres Peñate não se comprometeu, dizendo apenas as futuras opções estão em estudo.