Hoteleiros são quem está a suportar "grande parte" dos custos de formação no setor

Alberto Pita

Bruno Freitas, do gupo Savoy, diz que a Madeira perdeu alguma qualificação que tinha no passado devido ao desinvestimento que ocorreu

A ideia das pessoas procurarem um “trabalhinho” em vez que seguirem por vocação trouxe um efeitos nefastos, considera Bruno Freitas, que reconhece que o turismo da Madeira atravessa hoje uma dificuldade de recursos qualificados.

“Houve um certo desinvestimento, que agora se retoma, mas que só terá reflexos de alguns anos”, afirmou.

Diz que neste momento o reforço da formação está a ser suportado em grande parte pelos próprios hoteleiros e deu o exemplo do que está a suceder, neste momento, com o novo Savoy, na Avenida do Infante.

Atualmente, o grupo já dialoga com a Escola Hoteleira com vista a identificar futuros profissionais para a unidade, assumindo, desde já, que será o grupo a dar a formação aos funcionários, a qual deverá prolongar-se por um ano.