Pedro Coelho em defesa da classe média de Câmara de Lobos

A candidatura do PPD/PSD «+ CÂMARA DE LOBOS», liderada por Pedro Coelho, tem percorrido todo o concelho com contactos com a população. Nos contactos estabelecidos, os social-democratas câmara-lobenses defendem a necessidade fortalecer a classe média do concelho.

“Os territórios só se desenvolvem se tiverem uma classe média robusta. O crescimento económico e a consolidação da democracia pressupõe uma classe média forte”, defende Pedro Coelho.

Nesta linha, o atual Presidente da Câmara de Câmara de Lobos e recandidato apresenta diversos de compromissos eleitorais com a população do concelho, tendo em vista melhorar as condições de vida das pessoas, com propostas concretas dirigidas à classe média do concelho.

Desde logo, Pedro Coelho defende a prioridade ao investimento habitacional: “A oferta habitacional no concelho tem vindo a aumentar, sendo notória a construção de novos fogos de habitação coletiva. Não obstante, através da Estratégia Local Habitação, a candidatura do PSD quer estimular também a construção de habitação a custos controlados, acessível à pessoas e famílias de classe média, com especial enfoque naquelas que procuram adquirir a sua primeira habitação.

"Estamos a ultimar a candidatura ao programa nacional “1º Direito” e aos fundos do Plano de Recuperação e Resiliência, para que em Câmara de Lobos possam surgir novas habitações, a preços acessíveis. Queremos que as pessoas e as famílias que trabalham todos os dias e que têm um rendimento médio, possam também poder adquirir a sua habitação própria, a um preço que lhes seja possível pagar”.

A candidatura do PSD tem ainda o compromisso de criar o regulamento municipal de apoio ao arrendamento jovem e isentar os proprietários de imóveis em sede de IMI que queiram realizar arrendamento social.

No plano da fiscalidade municipal, o candidato social-democrata refere que o programa eleitoral contempla ainda continuar a reduzir a taxa de IMI para os valores mínimos, assim como continuar a devolver IRS aos munícipes nos termos das Finanças Locais. “Ao longo dos dois mandatos anteriores, o meu executivo estabeleceu uma gestão criteriosa e responsável. Nesta linha, tem sido possível manter elevadas taxas de investimento e reduzir a carga fiscal no concelho. Esta política é para prosseguir, por isso, estamos em condições de anunciar que será possível reduzir a taxa de IMI para o mínimo legal previsto, sem que isso comprometa o investimento que ainda é necessário fazer no concelho.

Ainda no plano das medidas de apoio à classe média de Câmara de Lobos, Pedro Coelho refere a continuação da política de concessão de bolsas de estudo aos estudantes do ensino superior, sem descriminação das famílias. O regulamento municipal de Câmara de Lobos, reconhece o direito à bolsa de estudo tanto a um jovem carenciado como a um jovem da classe média. “O filho de um professor, de um funcionário público, de um pequeno ou médio empresário também é apoiado”, refere Pedro Coelho.

A candidatura «+ CÂMARA DE LOBOS» assume-se comprometida em prosseguir o ideário social-democrata, de forma muito clara:

“Defendemos o princípio do Estado Social, de forma a combater as desigualdades sociais, porém é necessário alargar a classe média e defendê-la com garra. É nesta linha que, temos prestado especial atenção a este segmento da população. Devolvemos parte do IRS às famílias; reduzimos progressivamente o IMI; aplicamos do IMI familiar; diminuímos os coeficientes de localização para efeitos de IMI; dinamização da campanha “causa animal” com vacinação e identificação dos canídeos e gatídeos a custo simbólico; concedemos empréstimos de manuais escolares a alunos sem escalão; realizamos anualmente campos de férias nos meses de verão a custos acessíveis para os casais que não têm onde deixar os menores; alargamos a atribuição das bolsas de estudo a todos os escalões e classes; entregamos tablets a alunos com Necessidades Educativas Especiais do 1º ciclo; disponibilizamos, durante a pandemia, de cerca de 300 equipamentos informáticos para os alunos de todos os ciclos das escolas do concelho, bem como acesso à plataforma Escola Virtual a todo o universo de alunos que frequentam o 1.º Ciclo; isentámos taxas municipais e reduzimos custos de licenciamento de obras; e implementámos oo programa de apoio ao comércio, estabelecimentos de restauração e bebidas, atividades artísticas e culturais”, enumerou Pedro Coelho.