Debate JM: Zonas altas com análises distintas entre as duas candidaturas

Por David Spranger

Os dois candidatos foram instados a se pronunciarem sobre as zonas altas, mormente alvo de muitas promessas e depois esquecidas. Calado traça um cenário com esgotos ainda a céu aberto e Miguel Gouveia riposta que não é assim e que com ele as zonas altas registaram uma grande melhoria.

Pedro Calado, candidato PSD/CDS, diz ter verificado que “há grandes carências registadas. A acessibilidade foi feita até 2013, e neste momento nas zonas altas há grandes lacunas, inclusive estacionamento”.

Calado denuncia que “temos zonas com falta de agua potável”, referenciando a zona do Galeão e ainda “esgotos a céu aberto”, aqui dando exemplos da zona de Santa Rita. É ainda essencial “rever o PDM para que as pessoas possam legalizar as suas habitações”.

Situações que “não podem existir numa capital como o Funchal, que ainda por cima perde população”.

E sim, com ele, as zonas altas terão atenção ao longo dos quatro próximos anos.

Já Miguel Silva Gouveia diz que “obviamente que não posso aceitar que se diga que o Funchal não tem qualidade de vida, quando tem das melhore qualidade de vida do país”

O candidato, que é também autarca, frisa que “conheço a zona alta, nasci, vivo lá e vou todos os dias para casa e sei a evolução registada”.

Miguel Gouveia lembra que até 3013, “o Governo Regional tinha 4,5 ME de euros inscritos no Orçamento para essas matérias, no Funchal, e agora são zero”

Para o candidato da Confiança, “não é verdade que não tenha investido no saneamento básico” e lembra a herança recebida, que “não era aquela laranja doce que se fazia passar, havia problemas… “E no seu entendimento, sim “há problema pontuais”, mas nunca o cenário caótico traçado pelo seu adversário.