Debate JM – Candidatos defendem Santana como uma marca turística

Paula Abreu

A importância do Turismo no concelho de Santana mexeu com os ânimos no Debate JM, que decorre na redação do jornal

. João Paulo Luís adiantou que o seu projeto camarário contempla um plano global do turismo, com o levantamento da diversa oferta do concelho, visando a criação de um roteiro turístico que pode passar por ter uma plataforma online, não só para os turistas como também para os residentes terem “uma visão integrada do que o concelho tem para oferecer e não ser apenas um destino para escapadinhas”. O candidato do PSD defendeu que “tem de ser o município a chegar à frente, muito mais do que o agente económico que divulga Santana. Temos de criar a Marca Santana, com atrações do mar à serra” e atrair novos serviços turísticos.

Já Dinarte Fernandes assume a falha de não haver mais percursos recomendados. “Já devíamos ter isso feito. É nosso objetivo criar mais percursos recomendados, como a Levada das travessas que vai dar à Achada do Marques.”

O atual autarca pretende criar, se for reeleito, ao longo dos quatro anos de mandato, Santana como Marca de Turismo de qualidade.

Criticou ainda a falta de estratégia do Governo Regional que não apoia os caminhos reais, como também para a requalificação de miradouros, “um trabalho que temos vindo a fazer, como no Miradouro do Guindaste no Faial”. Sobre esta obra, João Paulo diz que vai desvirtuar o local, mas Dinarte Fernandes entende que deverá trazer investimento hoteleiro e lembrou ainda que foi feita uma alteração no PDM para um novo investimento estrangeiro no Tojal. “Mais uma vez, uma alteração pontual no PDM”, criticou o social democrata.