Debate JM: Filipe Sousa afirma que teve ordenado penhorado por ter impedido projeto para a Quinta Escuna

O projeto da Quinta Escuna, que tem gerado muita polémica, vai ser analisado por Brício Araújo, que só poderá falar sobre o assunto depois de uma análise em termos de questão judicial.

O candidato do PSD/CDS diz que nunca tomou qualquer posição e afirma que este é um dossiê sensível. Politicamente, é um assunto que tem de ser analisado. "Não há nenhuma intervenção minha, relativamente a essa matéria, a criticar a Câmara", defende o candidato do PSD/CDS que aproveitou o uso da palavra no debate do JM e da 88.8, para voltar atrás e falar no quadro negro traçado por Filipe Sousa, para referir que não se vê nem na política do JM nem em alguns executivos camarários do PSD em Santa Cruz, no passado.

Ainda sobre a Quinta Escuna, Filipe Sousa lamenta que Brício Araújo venha lavar as mãos. Diz também que "sempre que há eleições, o empresário relacionado com o projeto em causa, vem com o cartão laranja fazer publicidade contra a Autarquia de Santa Cruz". O candidato do JPP, que é também presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, explica que a proposta de revogação do contrato Quinta Escuna teve o mérito de evitar que o erário público fosse prejudicado. "Foi através desse projeto que tive o meu ordenado penhorado", aponta Filipe Sousa, o qual lamenta que a coligação de interesses tenha também movido processos contra si.

Brício Araújo, que interrompeu o raciocínio de Filipe Sousa, pediu para que o candidato do JPP concretizasse com nomes mas o candidato Filipe Sousa preferiu não se pronunciar. Mas garantiu que o projeto do seu partido para a Quinta Escuna será um orgulho.