Debate JM: Política ambiental alvo de muitas críticas com ARM no foco

Por David Spranger

Os candidatos à Câmara de Lobos detetam lacunas na atuação da ARM no concelho, com Pedro Coelho bem mais condescendente nesta matéria do que os seus adversários.

Há muitas queixas no saneamento básico, mormente no Jardim da Serra e a questão colocada foi precisamente se estaria a falhar a política ambiental.

Pedro Coelho assegura que “a política de ambiente não está a falhar, pelo contrário, está a melhorar”. Lembrou que a responsabilidade do saneamento básico é da ARM, mas ainda assim estamos a colocar saneamento básico aquando do melhoramento das veredas”

No Jardim da Serra, em específico, “a ligação com o Estreito, que não estava prevista ter saneamento básico, vai ter uma rede de saneamento básico e vai resolver essa questão”, anunciou Pedro Coelho, lembrando que idêntico problema já foi resolvido no Curral das Freiras.

Em relação à constatação de que há muitas críticas à atuação da ARM no concelho, Pedro Coelho lembra que “há um contrato em vigor”, mas assegura que a autarquia está atenta porque “nem tudo está a correr bem”.

Diz que por ação da Câmara “foi conseguido agora mais recolhas de lixo, em sítios que eram de recolha de duas vezes por semana e pedimos que seja três. No cento da cidade a recolha é diária”.

“Temos investido muito na recolha seletiva”, diz Pedro Coelho, admitindo que “as intervenções da ARM são por vezes morosas, o que e criticamos, e inclusive já suspendemos trabalhos por incumprimento”. Mas isso não invalida que “fizeram um grande investimento em Câmara de Lobos”.

Jacinto Serrão tem uma visão antagónica e traça um cenário quase dramático dessa política ambiental. “É preciso mudar tudo e é inacreditável que o presidente venha dizer que a Câmara Municipal não tem responsabilidades nesta matéria. As lixeiras são uma vergonha, com cheiros nauseabundos e foco de atração de pragas”, denunciou,

“Há cosias que foram feitas mas isto melhorou apenas um dononinho”, referiu, acrescentando que “não podemos crescer aos poucos, somos um concelho para ombrear com os melhora das RAM e não para estarmos na cauda”.

Jacinto Serrão considera que “depois de passar a gestão para a ARM o problema em Câmara de Lobos passou de mal a melhor. A ARM tem de honrar os compromissos e o presidente da Câmara tem de resolver estes problemas”. E se a ARM “não consegue dar uma resposta adequada, tem de ir para fora e a autarquia tem de assumir isso. Não pode sacudir a água do capote”.

Amílcar Figueira considera que” em pleno seculo 21 não se admite que a ARM trate os câmaralobenses como vem tratado”, confidenciando, inclusive, que “o candidato do Jardim da Serra da lista daquele senhor [Coelho] pediu por amor de Deus que se resolva este problema”.

O centrista lamenta que já “em 2009 já se falava nessa promessa de saneamento básico, diziam que estavam a aguardar a via expresso para o Estreito para o fazer e não o fizeram”

“Pretendemos criar um centro de combustagem no nosso concelho”, disse Amílcar Figueira, terminando com a certeza de que “é preciso pressionar a ARM”: