Debate JM: Frente mar requalificada nos moldes propostos por quem foi eleito

Por David Spranger

José António Garcês diz que após a respetiva discussão pública, a obra respeita o parecer de impacto ambiental e embora o PS defenda que seja feita em outros moldes, José António Garcês lembra que quem faz o projeto é quem foi eleito.

São Vicente tem já preparado um projeto de requalificação da frente mar, numa intervenção que inclui uma nova ligação mais eficiente ao centro da vila. O projeto, apresentado já através das páginas do JM não se vem revelando consensual, dividindo opiniões.

José António Garcês diz que “a frente mar é uma obra essencial para São Vicente e é reivindicada há mais de 30 anos. Mas parece que como a estrada das Ginjas, ninguém quer que se faça nada em São Vicente”

Especificando, o candidato PSD/CDS lembra que “o projeto esteve em discussão pública e teve 645 pessoas que se manifestaram. Contra a obra. E nesse sentido, a Câmara fez o que tinha de fazer. E tem já um parecer e um projeto para a obra com essa sustentabilidade ambiental assegurada e a obra pode avançar, com esse parecer impacto ambientar favorável. Temos que o respeitar e fazendo-o a obra já pode avançar”, reiterou

Garcês lamenta que “foi outra vez o PS, que participou nessa discussão pública, que veio dizer que não era naqueles moldes. Mas quem faz os moldes é quem foi eleito”.

Helena Freitas “ripostou que “as pessoas têm o direito de se manifestar”, concordando que “a frente mar tem um problema de estacionamento” e considera que de facto quem foi eleito é quem deve fazer o projeto, mas respeitando a opinião da população.

Ora, no seu entender, havia um primeiro projeto em que “era retirada uma faixa de rodagem com estacionamento em espinha, e o calhau mantinha-se tal como está”. Todavia, o que está em projeção, conforme referiu, “irá retirar a beleza da frente mar, pois “vai retirar seis metros de calhau rolado e criar estacionamentos”. Reafirma que “o PS não é contra, defende é a sua ideia”.

Na contrarresposta, Garcês disse que a candidata do PS afinal não conhece o projeto, assegurando que não serão retirados esses seis metros de calhau.