Debate JM: PSD e CDS defendem "quatro faixas de rodagem" até a Calheta e Sofia Canha aponta soluções pontuais

Carlos Teles que, em maio, numa entrevista concedida ao JM, defendeu que o seu objetivo é levar uma via-rápida com "quatro faixas" até a Calheta, assegura que continua a ter essa meta. Aliás, não tem a mais pequena dúvida de que esse é um objetivo próximo, conforme acaba de referir no debate que decorre nas instalações do JM.

"Nós acreditamos. Obviamente que a construção de mais duas faixas não depende de um programa de uma Câmara mas é uma revindicação justa que temos que fazer junto do Governo Regional". "A Calheta está a crescer e as vias de comunicação são importantíssimas para qualquer localidade", disse, por seu lado, Gabriel Neto, o qual considerou que com o CDS no Executivo madeirense, essa será também uma preocupação. Sofia Canha, que discorda do modelo sugerido por Carlos Teles, defende, no entanto, que será preciso uma alternativa para solucionar alguns nós que existem há algum tempo. Aquilo que a candidata socialista preconiza é que tem de ser retirado o trânsito de Lugar de Baixo e da Ponta do Sol, criando-se uma alternativa que será também importante para os locais. "Duas faixas não me parece que seja uma alternativa em que o custo benefício seja tão grande. Mas é importante arranjar uma solução para algumas zonas. Lembro que, em 2004, o PS tinha, no seu programa, uma via rápida até a Ponta do Pargo. Mas não é só criar as faixas. Tem de ser é, de facto, bem pensado", adiantou a candidata do PS ao Município da Calheta.