Debate JM: Carlos Teles diz que calhetenses mostraram o que querem mas Sofia Canha e Gabriel Neto apostam na alterância

Sofia Canha, candidata do PS à Câmara Municipal da Calheta, diz que o grande obejtivo é o de aprejentar um projeto alternativo. No seu entender, tem havido alternativa embora não haja alternância política. Sofia Canha quer apresentar um projeto de alternância política e que é possível. A Calheta, segundo refere, não sabe qual o melhor, pois não tem tido oportunidade à opsição.

Esta a resposta de Sofia Canha à pergunta sobre que meta definiu para estas eleições agendadas para 26 de setembro. Já Carlos Teles, por sua vez, diz que a sua meta é continuar a servir os calhetenses, aquele povo que "tem acreditado em nós nestes anos". Adiantou ainda no primeiro dos onze debates que arrancam hoje, na redação do JM, que tem a melhor equipa, o melhor projeto para servir o Município. Considerando que a atual estabilidade política é um trunfo que o PSD tem, Carlos Teles acredita, pois, que a população irá estar atenta. Por seu lado, Gabriel Neto, candidato do CDS/PP, sobre a mesma questão, recordou que há juntas de freguesia que já poderam ter altenativa política e mostraram o que valem. Assim, este valor pode será levado à Autarquia.

O concelho da Calheta é o primeiro dos onze concelhos da Região que vão estar em debate, durante onze dias úteis, na redação do JM. Hoje, Carlos Teles, candidato do PSD, Sofia Canha, pelo PS e Gabriel Neto, pelo CDS/ PP são os intervenientes neste debate que é moderado por Miguel Silva e Miguel Guarda.