Jornadas Madeira 2021: “É necessária uma discriminação positiva para o Porto Santo”

Por David Spranger

Idalino Vasconcelos reiterou aquilo quer o JM já escreveu, acerca do contributo da autarquia no Plano de Recuperação e Resiliência, onde a autarquia considera ser vital um forte investimento na ilha dourada.

“É preciso estar atento ao Plano de Recuperação e de Resiliência, às medidas a implementar no Porto Santo e à aplicação dos fundos na ilha. Lembro que o Município criou e publicou um documento com as suas propostas, ideias e medidas, em fevereiro de 2021, já publicado no nosso site”, conforme relevou, sabendo-se que esse conjunto de medidas atinge um valor global na ordem dos 60 milhões de euros.

“Nos próximos anos serão discutidas duas importantes concessões, a aérea, para a qual já tem sido dado o nosso contínuo contributo ao Governo Regional, e a concessão da linha marítima. O desafio desta nova concessão é garantir, obviamente, a mobilidade marítima durante todo o ano à nossa população”, disse.

Para o futuro, “temos de assegurar, pela importância que assumem, a viabilização destas medidas, através do investimento municipal e de contratos programa com o Governo Regional, para que se possa ainda utilizar fundos europeus”

A solução passa por uma discriminação positiva para com a ilha do Porto Santo e com o seu povo e por isso já demonstrei a minha insatisfação ao Governo Central, apelei ao Presidente da República e fiz pressão junto da Assembleia Legislativa Regional para que nos próximos anos o Estado Português corrija essa injustiça”, considera.