Jornadas Madeira 2021: Amaro Santos critica corte de verbas ao Grupo de Teatro de Machico

O corte de verbas da autarquia para o Grupo de Teatro de Machico para o próximo ano foi recebido com “mágoa” pelo seu diretor, Amaro Santos, pelo esforço financeiro que é exigido. As “novas regras não estão ajustadas às nossas atividades, merecíamos mais”, lamentou.

Ricardo Franco explicou que o protocolo assinado é no valor de 5.500 euros, e que esse apoio é dado com base num regulamento com critérios definidos, na sequencia de reuniões mantidas com entidades culturais para apoiar entidades “de forma transparente”. Para além disso, são cedidos apoios pontuais que, de acordo com Ricardo Franco, “nunca foram negados” quando Amaro Santos os pediu.

“Toda a gente quer mais, mas nós não damos aquilo que não podemos dar. Não compreendo sinceramente a sua insatisfação”, disse o presidente da Câmara Municipal de Machico.

Ainda no âmbito cultural, Ricardo Franco lembra a atividade ‘Música nos Miradouros’, recentemente realizada para esbater dificuldades entre os artistas.