Fórum Poupança JM: “Famílias devem redefinir as suas prioridades” e fazer planeamento financeiro

Redação

Pedro Mello e Castro, responsável de poupança e investimento no Banco Santander, lembra que a pandemia tem condicionado as economias do mundo inteiro e desafia as famílias a redefinirem as suas prioridades, fazerem um planeamento financeiro mais cuidado para manterem os seus padrões de consumo.

“Cabe a toda a sociedade, começando pelo ensino básico, pelo setor público e privado e pelos intermediários financeiros, passar as mensagens certas, por forma a que o comum dos portugueses consiga olhar para a frente, encarando os dados com realismo”, defende.

Natália Nunes, coordenadora do Gabinete de Proteção Financeira da DECO, apela aos portugueses para que encarem a poupança como um objetivo efetivoe apoia a ideia de que as noções de popuança devem começar na escola, desde cedo.

Nos anos mais complicados da crise, havia uma gestão mais rigorosa do dinheiro por parte das famílias, acrescenta a especialista, sublinhando a importância, mais do que nunca, de as pessoas acautelarem a sua reforma.

Para Natália Nunes, a facilidade em obter crédito contribuiu para esta realidade, pelo que as entidades devem ter uma postura mais responsável na atribuição de crédito.