Fórum da Poupança JM: Níveis de poupança são muito baixos em Portugal

Patrícia Gaspar

Pedro Mello e Castro, responsável de poupança e investimento no Banco Santander, diz que a poupança nas famílias portuguesas ronda os 6 a 7% do que as pessoas ganham, um valor muito baixo.

O bancário adianta, a título de compração, que os indicadores estão muito abaixo dos níveis de 1991.

Já Filipe Oliveira, responsável pela Agência Regional da Energia e Ambiente da Região Autónoma da Madeira (AREAM), considera que, em termos de eficiência energética, o País tem evoluído. A Ideia é reduzir custos e poupar o Ambiente.

"Tem havido uma grande evolução na forma como utilizamos a energia, há mais serviços a requerem energia, mas a utilização é mais eficaz", refere.

Por outro lado, Natália Nunes, coordenadora do Gabinete de Proteção Financeira da DECO, que começou por explicar o conceito de poupança, a parte do rendimento que as pessoas conseguem colocar de lado, entende que os portugueses têm poupado mais, por força da pandemia e da incerteza.

"E extremamente difícil para as famílias pouparem, quando a maioria recebe o salário mínimo nacional!, sublinha, considerando que também a introdução do recurso ao crédito veio alterar o comportamento dos portgueses.