Jornadas Madeira 2020: “É preciso olhar para as instituições como parceiros de cooperação do Governo”

"As instituições estão a fazer um trabalho de excelência", sublinhou Cecília Cachucho, provedora da Santa Casa de Misericórdia da Calheta, durante o período de debate nas Jornadas Madeira, que se realizam hoje na Ribeira Brava.

"Não me importo nada de ir para um lar porque tenho a certeza de que os meus filhos não vao poder dar a qualidade que dão 24 horas por dia nos nossos lares", apontou a Bernardino Trindade, que defendeu no seu discurso o apoio a manter os idosos nos seus lares para um envelhecimento com mais qualidade.

Salientando a existência de idosos em situação de demência, a título de exemplo, a quem não está a ser dada "a qualidade que essas pessoas precisam, com pessoas especializadas."

"Estes nossos acordos estão mesmos desfasados, o nosso acordo em lar é de 2007", lamentou, acrescentando que as instituições "fazem milagres, e que "é preciso olhar para as instituições como parceiros de cooperação do Governo”.

Neste âmbito, Micaela Freitas, presidente da Segurança Social, afirmou que as instituições não estão descalças, sendo que um apoio foi já aprovado pelo Governo Regional. Constrangimentos orçamentais são a razão para a ausência de revisão dos acordos, mas a presidente do Instituto de Segurança Social da Madeira assegura que todos os possíveis estão a ser feitos pelo Executivo madeirense.