Eleições: PSD vence na Madeira mas elege mesmos três deputados do que o PS

Lusa

O PSD venceu as eleições legislativas na Região Autónoma da Madeira com 37,15%, mas elegeu o mesmo número de deputados do que o PS, em segundo lugar (33,41%), sendo agora a representação regional de três mandatos para cada partido.

Nas eleições de 2015, o círculo eleitoral da Madeira, com 255.821 recenseados, elegeu três deputados do PSD, dois do PS e um do BE, partido que agora ficou em quinto lugar, com 5,24%, atrás do CDS-PP (6,05%) e do JPP (5,49%).

A lista do PSD/Madeira era encabeçada pelo líder do partido no arquipélago e presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, que, no entanto, não vai ocupar o lugar na Assembleia da República. Há duas semanas, o social-democrata foi novamente eleito nas legislativas regionais.

Os três deputados social-democratas da Madeira são Sérgio Marques, ex-eurodeputado e ex-secretário regional dos Assuntos Parlamentares, e os reeleitos Sara Madruga da Costa e Paulo Neves.

O Partido Socialista será representado pelo cabeça de lista, Carlos Pereira, reeleito para um novo mandato, e pelos estreantes Olavo Câmara, líder da JS/Madeira, e Marta Luísa de Freitas.

A bipolarização entre o PSD e o PS, que se tornou evidente nas eleições regionais de 22 de setembro, com 39,42% para os social-democratas e 35,76% para os socialistas, voltou a registar-se nestas legislativas, sendo de destacar a vitória do PS no concelho do Funchal, o mais importante e populoso da região, onde obteve 36,03%.

No círculo eleitoral da Madeira estavam inscritos para estas eleições 258.144 eleitores, tendo votado 129.821, números semelhantes aos de 2015 (255.821 inscritos e 125.104 votantes).

O resultado desta noite indica uma estabilidade da votação no PSD - 48.231 votos (47.228 em 2015) -, ao passo que a votação no PS aumentou substancialmente, passando de 26.152 votos em 2015 para 43.373.

Os socialistas ganharam em seis dos 11 concelhos da região Autónoma da Madeira, mais dois do que nas eleições regionais de 22 de setembro, sendo de destacar as vitórias no concelho do Funchal (19.716 votos num total de 107.028 inscritos) e em Santa Cruz, o segundo concelho mais populoso (5.997 votos em 39.398 inscritos).

O PS venceu também nos concelhos de Porto Santo, Porto Moniz, Ponta do Sol e Machico, tendo o PSD ganhado nos municípios de Câmara de Lobos, São Vicente, Calheta e Ribeira Brava e Santana.

O CDS-PP foi a terceira força mais votada na Madeira (6,05% - 7.852 votos), um resultado semelhante ao das regionais, onde obteve 8.246 votos e elegeu três deputados, os necessários para, em coligação com o PSD, garantir a formação de um Governo Regional, tendo em conta que os social-democratas perderam a maioria absoluta com que sempre governaram a região.

O JPP ficou em quarto lugar, com 7.125 votos, acentuando a tendência de queda que o fez passar de cinco para três deputados na Assembleia Legislativa regional em 22 de setembro.

O Juntos Pelo Povo perdeu inclusive no concelho de Santa Cruz, onde surgiu como movimento de cidadãos e onde governa com maioria absoluta na Câmara Municipal. Neste município, ficou agora em terceiro lugar, com 21,62% (4.518 votos, num total de 39.398 inscritos).

Por seu lado, o PCP, que concorreu coligado com o PEV, contrariou ligeiramente a tendência de queda, tendo obtido 2,08% (2.702 votos). Nas regionais, os comunistas alcançaram 1,80% (2.577 votos) e elegeram apenas um deputado ao parlamento regional, quando na anterior legislatura estavam representados por dois mandatos.

Nestas eleições nacionais, o PAN atingiu na Madeira os 1,82%, com 2.361 votos e as restantes forças partidárias situaram-se todas abaixo dos 0,91%.

De acordo com o EyeData, plataforma de análise de dados estatísticos, a população residente média na Região Autónoma da Madeira (duas ilhas habitadas) em 2018 foi de 254.160 habitantes, dos quais 5.175 na ilha e município do Porto Santo, a 71 quilómetros do Funchal.

Além da Madeira e do Porto Santo, a região é composta por dois subarquipélagos com estatuto de reserva natural: as Desertas, localizadas a cerca de 40 quilómetros do Funchal, e as Selvagens, a 300 quilómetros a sul da capital madeirense.

A ilha da Madeira é, por outro lado, ocupada por uma grande mancha de floresta laurissilva (15.000 hectares, cerca de 20% do território), que ostenta o galardão de Património Mundial da Humanidade desde 1999.

O Funchal é o concelho mais populoso (104.286 habitantes) e o Porto Moniz o menos povoado (2.360 habitantes).