Covid-19: ‘Glamping’ quase esgotado no Norte e nem pandemia afasta turistas

Lusa

A procura pelo 'glamping' - junção de 'glamour' e 'camping' - para fazer férias com o distanciamento social necessário em tempos de covid-19 fez disparar as reservas no Norte e há mesmo empreendimentos turísticos com o verão quase esgotado.

Os portugueses estão à procura da natureza para férias durante a pandemia de covid-19 e o ‘glamping’ do Lima Escape, um parque de campismo em Ambos-os-Rios, distrito de Viana do Castelo, tem as casas da árvore à beira do rio Lima com taxas de ocupação próximas dos 100% para os próximos dois meses, avançou hoje à agência Lusa Anna Altshul, sócia-gerente do empreendimento.

“Há muita procura. Parece que todo o mundo está agora à procura de locais calmos no meio da natureza e o nosso ‘glamping’ com as casinhas e tendas é um desses locais”, declara a empresária, referindo que, em duas ou três semanas, ficaram com o verão com “lotação quase esgotada”. A maioria são hóspedes portugueses, pois os estrangeiros “ainda não têm certezas sobre os aviões” e “remarcaram para o próximo ano”.

Para garantir a segurança aos clientes, o Lima Escape implementou medidas adicionais de limpeza e recebeu o selo ‘Clean and Safe’ do Turismo de Portugal. Na parte de campismo tradicional, estão a trabalhar “por reservas” e metade da capacidade para garantir o distanciamento social. O ‘take-away’ é a solução que o Lima Escape encontrou para os clientes que queiram refeições confecionadas.

O ‘glamping’ do Parque Biológico de Vinhais, distrito de Bragança, tem o mês de agosto praticamente completo e o mês de julho está com 70% de reservas confirmadas, adiantou o diretor do parque, Miguel Fernandes.