Covid-19: Costa defende que UE tem de adotar grande plano de reconstrução da economia

O primeiro-ministro afirmou hoje esperar que a União Europeia adote a curto prazo um grande plano para a mobilização e reconstrução das economias dos Estados-membros, visando combater a crise provocada pela pandemia de covid-19.

Esta posição foi transmitida por António Costa em entrevista à TVI, depois de questionado se acredita na possibilidade de a União Europeia poder aceitar agora mecanismos de mutualização da dívida.

O líder do executivo português não se referiu em concreto aos chamados "eurobonds", mas apontou avanços positivos quando a União Europeia anunciou 37 mil milhões de euros para reprogramação de dinheiro já alocado, a Comissão Europeia flexibilizou o Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) e o Banco Central Europeu decidiu injetar mais 750 mil milhões de euros para a aquisição de dívida pública.

"Tenho a certeza que vai ser muito duro o debate no Conselho Europeu da próxima quinta-feira. Temos de ter um grande plano, chamem-lhe Marshall ou von der Layen, o nome como quiserem. A Europa tem de ter um grande projeto de mobilização e de reconstrução económica depois desta pandemia", declarou o líder do executivo português.