Lucros da Santa Casa descem de 42,4 ME para 33,3 ME em 2018

Lusa

Os lucros da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) baixaram para 33,3 milhões de euros em 2018, depois de terem atingido um recorde de 42,4 milhões em 2017, foi hoje anunciado.

De acordo com o provedor da SCML, Edmundo Martinho, 2018 foi um ano "fundamentalmente de consolidação" da atividade da instituição, tendo atribuído a diminuição dos lucros à "mudança substancial de como os jogos são atribuídos aos beneficiários".

"Se não fosse isto, teríamos um resultado líquido igual ao de 2017", adiantou o provedor, em conferência de imprensa, em Lisboa, considerando 2018 "um ano altamente positivo".

A receita corrente da Santa Casa diminuiu 8,2 milhões de euros, incluindo 5,2 relativos aos jogos sociais, para 253,6 milhões de euros.

Edmundo Martinho relevou ainda que a SCML teve "a oportunidade de aumentar os custos operacionais", já que a despesa corrente aumentou 14,1 milhões de euros em 2018 face a 2017.

"Conseguimos consolidar este ano de forma significativa o nosso ativo [aumento de 3,7% para 837,5 milhões de euros]", disse o provedor, que salientou ainda o "aumento substancial dos capitais próprios [759,4 milhões de euros], o que permite à instituição ter "um rácio de autonomia financeira muito elevado".

"É uma situação financeira que nos permite alguma tranquilidade", considerou Edmundo Martinho.

Para o resultado positivo da SCML contribuíram ainda os resultados dos jogos sociais, que geraram mais de 3.092 milhões de euros, entre prémios a apostadores (1.833 milhões de euros), 180 milhões em imposto do selo e ainda remunerações a comerciantes locais (733 milhões), de acordo com o relatório e contas da Santa Casa.

Os jogos que maior receita geraram à Santa Casa foram a lotaria instantânea (raspadinhas), com 1.574 milhões de euros, seguindo-se as apostas mútuas (908 milhões de euros, uma diminuição de 6,9% face a 2017), e ainda o Euromilhões e o Milhão, que geraram 805 milhões de euros (menos 5,4%).

O jogo de apostas desportivas Placard cresceu 5% para 527 milhões de euros.

Na apresentação de resultados, o provedor da Santa Casa, Edmundo Martinho, revelou ainda que está em fase de implementação um jogo de apostas hípicas, algo a ser feito "de forma muito prudente".

O responsável falou da forma prudente do planeamento, "não apenas por ser um jogo novo mas também por não ter tradição em Portugal", e que está a ser feita com a francesa PMU, a "maior operadora de apostas hípicas na Europa".

"É um jogo de grande sucesso em praticamente todos os países em que vem a ser lançado", afirmou Edmundo Martinho.