"Vai começar a faltar a cervejinha no mercado "

Lusa

O segundo dia de greve dos trabalhadores da Sociedade Central de Cervejas mantém hoje uma adesão de 100%, segundo fonte sindical, decorrendo na quinta-feira um plenário para decidir “novas formas de luta” face ao silêncio da administração.

O dirigente sindical Rui Matias destaca que os trabalhadores “fazem muito trabalho suplementar” aos sábados, domingos e feriados, pelo que, se não for possível chegar a um acordo, num prazo de dois meses começará a faltar cerveja no mercado, numa altura do ano em que o consumo aumenta.

“Afigura-se aqui uma situação de impasse tremendo e vai começar a faltar a cervejinha no mercado. Eles podem ter muito ‘stock’ por agora, mas em dois meses será muito difícil responder às solicitações do mercado, até porque estamos a caminhar para o verão, que é o período de maior consumo de cerveja”, sustenta.