Filha do presidente da Guiné Equatorial recebe 1,5 milhões em benefícios na Zona Franca da Madeira

Uma notícia avançada pelo Público esta quinta-feirá dá conta de que a filha do presidente da Guiné Equatorial, no poder há 39 anos, recebeu 1,5 milhões de euros através de duas empresas na Zona Franca da Madeira.

Ainda segundo aquele jornal, Francisca Jiménez tem 15 empresas com morada no Funchal.

"Abrir negócios na ZFM já permitiu à filha do ditador beneficiar de incentivos fiscais de pelo menos 1,5 milhões de euros, à boleia de um IRC de 5%. A Coralco e a Masela estão sediadas no primeiro andar do n.º 20 da Rua Dr. Brito Câmara, no centro da capital madeirense, a exacta morada de muitas outras empresas", diz o Público, que adianta que o gerente das duas sociedades da empresária equato-guineense é o mesmo: Francisco José de Gouveia, ligado a mais 19 empresas (como gerente, representante ou administrador), que das quais, com sede no mesmo primeiro andar. O Público realça que o regime fiscal da ZFM não é igual a offshores como o Panamá ou as ilhas Caimão mas adianta que observadores internacionais alertam para as relações privilegiadas da ZFM vom praças financeiras pouco ou nada transparentes.