Fundo de Coesão atribui 45 milhões para ampliação da Central Hidroelétrica da Calheta

O projeto de Ampliação do Aproveitamento Hidroelétrico da Calheta, a cargo da Empresa de Eletricidade da Madeira, vai uma contribuição de Fundo de Coesão de 45 Milhões de Euros, decidiu a Comissão Europeia, anunciando que a candidatura foi financiada pelo PO SEUR.

Com um custo total de investimento que ronda os 70 Milhões de euros, este projeto “consiste na criação de uma infraestrutura de armazenamento de energia elétrica, através da ampliação e transformação do Aproveitamento Hidroelétrico da Calheta num sistema reversível, que inclui a produção de energia elétrica e a captação, armazenamento e bombagem de água, visando reforçar a capacidade de receção da energia proveniente de fontes renováveis intermitentes no sistema elétrico isolado de pequena dimensão da Ilha da Madeira”, refere nota da Comissão Europeia.

“Como a rede elétrica da Ilha da Madeira é isolada e de pequena dimensão, parte da energia renovável produzida durante as horas de menor procura, sobretudo no período noturno, não pode ser exportada nem armazenada e por isso é rejeitada”, lê-se no mesmo documento.

Assim, desta forma “o sistema elétrico da Ilha da Madeira ficará dotado de uma infraestrutura para armazenar a energia disponível de fontes renováveis intermitentes nos períodos de menor procura, para posterior utilização nas horas de maior procura, assegurando serviços de sistema na rede elétrica para a estabilidade do sistema elétrico e a fiabilidade do fornecimento de eletricidade”, acrescenta.

O documento conclui que o projeto “permitirá o aumento da capacidade de produção de energia de fontes renováveis endógenas intermitentes, como a energia eólica e solar, bem com a redução da dependência dos combustíveis fósseis na produção de eletricidade e a redução das emissões de CO2”.