Binter estuda novas rotas para a Madeira

Miguel Silva

Pedro Calado e Paula Cabaço receberam ontem representação da companhia, soube o JM

O vice-presidente do Governo Regional e a secretária regional de Turismo e Cultura receberam, esta quarta-feira, dois altos responsáveis da Binter, os quais manifestaram muito interesse em estudar novas rotas de e para a Madeira. Neste momento, a companhia área espanhola, com sede em Canárias, já realiza voos entre a Madeira e as ilhas Canárias e é uma das candidatas à linha entre a Madeira e o Porto Santo.

Nesta reunião, Pedro Calado e Paula Cabaço receberam Laura Peñate, precisamente, responsável pelo desenvolvimento de mercados internacionais, e Miguel Cabrera, que é o diretor comercial e de marketing da Binter, no sentido de manifestar este interesse em explorar novas ligações com a Madeira.

De acordo com o vice-presidente do Governo Regional, esta reunião, solicitada pela Binter, serviu, fundamentalmente, para “auscultar o interesse da Região e estudar parcerias para fazerem novas rotas, com mercados novos. A companhia tem interesse e apresentou proposta para a exploração da linha aérea entre a Madeira e o Porto Santo. Mas, para além dessa linha, pretendem fazer, depois, a ligação com outros aeroportos, com outros mercados, para além das ilhas Canárias”, disse Pedro Calado ao JM.

Para Pedro Calado, o interesse manifestado pela companhia é muito importante para a Região, porque vem dar “uma nova perspetiva, quer aos operadores turísticos que estão cá, quer aos hoteleiros, com a possibilidade de explorar, aqui, novos mercados emissores de turistas”.

É que, lembrou ainda Pedro Calado, “a Madeira terá, este ano, mais cerca de 1.800 camas e, sabendo desta grande oferta, e a própria Binter, sabendo que o mercado hoteleiro da Região está em franco crescimento, olha para a Madeira como sendo um mercado com grande potencial de crescimento, razão pela qual veio até aqui reunir com o Governo Regional, porque está interessado em apresentar novas alternativas”.

Por outras palavras, acrescentou ainda o vice-presidente do Governo Regional, “face ao crescimento económico que a Região tem apresentado, em especial o crescimento em termos de hotelaria, com novos hotéis, e, com esse potencial, querem explorar não só as ligações com o Porto Santo, como também com outros mercados e destinos, com os quais não temos, hoje, ligação”.